segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O PODER FISIOLÓGICO DA ÁGUA - DR. LAIR RIBEIRO ( CARDIOLOGISTA E NUTRÓLOGO)




Você sabia que para 1 copo de refrigerante ingerido você precisa de 32 copos de água para neutralizar o PH do seu sangue?
Água, a substância mais abundante no corpo e infelizmente pouco lembrada na prática médica.
Todos sabem que não há vida sem água e que devemos tomar água diariamente para nos mantermos hidratados. Mas se é uma substância tão importante, não deveríamos saber mais sobre como escolher a água que vamos beber?
Infelizmente, nos dias de hoje, grande parte da água potável está contaminada por flúor, cloro, metais tóxicos, compostos orgânicos, xenoestrógenos (que são substâncias estranhas ao organismo, mas que ingeridas funcionam como hormônios prejudiciais ao corpo). O problema está na forma de preparo, armazenagem e transporte, isto é, o processo como um todo está prejudicado e ingerindo um elemento tão básico e simples, podemos estar na realidade causando malefícios ao nosso organismo.
As informações são do cardiologista, nutrólogo e professor Dr. Lair Ribeiro

A água é o mais abundante de todos os nutrientes. Mais de 60% do nosso corpo é constituído de água. Se um peixe está em um aquário com uma água contaminada e por isso fica doente, para curá-lo temos que primeiro trocar a água do aquário. As nossas células estão imersas em água e muitas vezes essa água é inadequada para manter a célula saudável. A água para ser benéfica para nossa saúde tem que possuir várias outras propriedades, além de ser simplesmente pura. Vários fatores interferem na qualidade de uma água potável tais como: pH, poder de oxidaão-redução (se a água em questão é oxidante ou antioxidante), a condutibilidade e a tensão superficial



O PODER FISIOLÓGICO DA ÁGUA

Agua, a substância mais abundante no corpo e infelizmente pouco lembrada na prática médica.”
Todos sabem que não há vida sem água e que devemos tomar água diariamente para nos mantermos hidratados. Mas se é uma substância tão importante, não deveríamos saber mais sobre como escolher a água que vamos beber?
O assunto é de suma importância para a saúde das pessoas, mas a falta de conhecimento faz com que praticamente a totalidade da população mundial passe ao largo de todos os benefícios que uma água de boa qualidade pode proporcionar e fiquem sem orientação na hora de escolher esta substância vital, ficando a mercê das informações publicitárias das empresas que se favorecem da venda da água e que muitas vezes, não têm compromisso com a saúde do consumidor, mas sim com o lucro do seu produto.
A água é o mais abundante constituinte do corpo humano. Um indivíduo de 70 Kg por exemplo, tem aproximadamente 42 litros de água no corpo. Somos sim um “aquário ambulante, se a água estiver inadequada, não adianta tratar só o peixe”. Entretanto, a medicina só pensa nos solutos, raramente nos solventes. Para se ter idéia das proporções deste elemento, sabe-se que o corpo de um recém nascido é constituído de mais de 80% de água, o corpo de um adulto não desidratado é constituído de 69% de água e o corpo de um idoso é constituído de pouco mais de 50% de água. Ela constitui 85% do cérebro, 92% do sangue e 87% do fígado. Resumindo, o assunto água deveria ser  o primeiro capítulo de todo livro de medicina!
O estudo da água demonstrou que aspectos como o ângulo das moléculas de H2O faz toda diferença para a qualidade desta água e que isto está envolvido inclusive com o câncer, uma vez que a água que circunda as proteínas anormais (causadoras de câncer) têm uma diminuição significativa do número de estruturas hexagonais.
Os maiores especialistas e estudiosos da água, têm provado através de estudos importantes que toda água não é igual, e é a estrutura da água dentro dos nossos corpos que determina, em última instância, saúde ou doença, ou seja, nossa saúde pode ser melhorada através da melhoria da qualidade da nossa água e doenças podem realmente ser tratadas com água.
Infelizmente, nos dias de hoje, grande parte da água potável está contaminada por flúor, cloro, metais tóxicos, compostos orgânicos, xenoestrógenos (que são substâncias estranhas ao organismo, mas que ingeridas funcionam como hormônios prejudiciais ao corpo). O problema está na forma de preparo, armazenagem e transporte, isto é, o processo como um todo está prejudicado e ingerindo um elemento tão básico e simples, podemos estar na realidade causando malefícios ao nosso organismo.
No Japão, existe inclusive um hospital que trata as enfermidades com água!
É fundamental que a população possa ter conhecimento das propriedades da água, para que possam então se beneficiarem deste principal componente do corpo:
1-   PH: Se for mais ácido que o do nosso sangue, pode envelhecer e acidificar o corpo, provocando inclusive osteoporose. Todo alimento, por exemplo, gera um lixo de natureza acídica;
2-   Fonte: Quanto mais distante a fonte e engarrafamento, de onde se consome, maior o número de xenoestrógenos esta água irá conter, devido ao sol e calor sobre as garrafas de plástico, que liberam estas substâncias altamente tóxicas e que têm uma capacidade de se ligar a receptores hormonais estrogênicos com tal afinidade, que ocupam estes receptores alterando toda relação e equilíbrio hormonal das pessoas.
3-   Fluor: Diversos países da europa e estados da américa do norte já proibiram a adição do flúor na água, devido também a toxicidade desta substância, que por sua estrutura física, tem preferencia absortiva ao Iodo e, por isto, pode prejudicar o funcionamento da tireóide;
4-   Pureza: Este é infelizmente o único critério que as pessoas conhecem. É importante, mas apenas um deles. Sabe-se que a água deve ser livre de impurezas para que possamos consumi-la. Entretanto, neste processo de purificação, a água não pode ser desmineralizada, pois a água pura deve conter os minerais e nutrir. Uma água sem minerais é uma água morta;
5-   Potencial de Oxi-Redução (ORP): Uma ácida pode ser oxidante e envelhecer, ou antioxidante, combatendo radicais livres e o envelhecimento celular;
6-   Condutibilidade: Nosso corpo funciona através de impulsos elétricos, que levam as informações para realizarmos nossas funções. Estes estímulos devem ser conduzidos por meio dos tecidos corporais que são constituídos primordialmente por água. Se a água não tiver um bom nível de condutibilidade, os impulsos são prejudicados, trazendo repercussão ruim ao metabolismo corporal;
7-   Potencial de hidratação: É alarmante, mas existem águas que possam por processos e filtros, se tornando pobres hidratantes para o corpo. A purificação por destilação, desionização e osmose reversa, acidificam o corpo, roubam minerais e têm um fraco poder de hidratação;. Por outro lado, a água ionizada é um agente desintoxicante, além de ser 6 vezes mais hidratante.;

Enfim, é realmente fundamental que haja um esforço na no sentido de informar a população deste elemento essencial à vida e que pode ter ação medicinal diariamente!

Fonte:http://www.clinicasorrentino.com.br/

Importante palestra proferida pelo médico cardiologista, escritor, conferencista e palestrante motivacional Dr. Lair Ribeiro, falando sobre o poder fisiológico da água, com enfoque nas principais características de uma água de boa qualidade e sua influência na nossa saúde.

Alerta também sobre o péssimo hábito de consumo de refrigerantes e de águas engarrafadas que são, na grande maioria, piores que a água da torneira.

Nesta palestra o Dr. Lair Ribeiro fala sobre o Poder Fisiológico da Água, com enfoque nas principais características de uma água de boa qualidade:
- pH alcalino – acima de 7,5
- ORP Negativo
- Alta condutibilidade elétrica
- Baixa tensão superficial
- Ionizada






Nutrição Humana - Dr. Lair Ribeiro

Dr. Lair Ribeiro é um renomado cardiologista e nutrólogo, possui mais de 149 artigos científicos publicados em revistas médicas norte-americanas, trabalhou em Harvard, lecionou medicina em mais de 22 países, ministra seminários para médicos e tem mais de 35 livros publicados na área motivacional. Neste vídeo ele fala sobre a importância de envelhecer com saúde, adotando hábitos mais saudáveis, como beber muita água, eliminar o consumo de refrigerantes e suprir as deficiências nutricionais de nossa alimentação cotidiana através de suplementos alimentares (tabletes, chás etc).